Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



LUA

Quinta-feira, 26.07.07

Chegas para pratear a minha noite

hoje um pouco como o teu leito

entras nos caminhos do meu pensamento e atravessas

lentamente os corredores do meu silêncio

Deixo-me levar em teus braços frios mas envolventes

e sussurro palavras que só tu entendes

em linguagem de confidentes por tanta companhia

buscar em ti

és o meu refúgio perfeito para solidões forçadas

é no teu xaile bondoso com franja de prata que me acolhes e embalas

e proteges das marés e ventos fortes

Nunca partes sem afagares as minhas mãos

num beijo sofrido como mãe faz a um filho

em certezas de névoa das saudades que deixas

e deslizo em ti não com pressa de te deixar mas de chegar

a pedaços de outras paisagens

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por dolce_vita às 00:54

A TI

Segunda-feira, 23.07.07

Que mulher não espreita em nichos recônditos de si uma emoção perdida

que faz doer mas desnuda intimidades

que em passo arrepiado de amargura atravessa o tédio

em ruas estreitas sem ecos de alguém à entrada da noite

locais solitariamente percorridos em tempos reinventados

Volta o rosto

e reconhece as sombras que denunciam

destroços de vida desmoronada

não foge às escarpas inquietas

ao destino de um grito

ou ao percurso de neve antiga

segue em passos sem tribo o silêncio de locais sem voz

enlaça nos braços um futuro ávido de cor

de palavras encantadas em madrugada sem vestígios da noite

é tempo de travessia

acender os dias

dançar os sonhos e derrubar muros

desfaz em si névoas de outros tempos

encontra-se no lugar em que os rios se cruzam

faz ecoar solitários ventos de um destino ébrio de luz

acorda com a certeza de um poema a pontuar a manhã

e asas desenhadas em sorrisos

Cada mulher guarda  em si o lugar onde inadvertidamente se refugia

e se deleita em pétalas de muitas flores em forma de coração.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por dolce_vita às 00:18

UM CESTO DE ROSAS

Quarta-feira, 18.07.07

                                                                      

Pauto a minha vida pelos momentos vividos

cada um é um ponto tricotado na minha manta

este foi um momento de cor de perfume de emoções de rosas muitas rosas

um retalho de amizade

que só tem sentido quando

se faz tudo para a manter e desenvolver

cuidamos com o coração e queremos com a alma

se fala e entende em silêncios adivinhados

percebemos quão fundamental e necessária a sua presença

tenho a grata felicidade de não ter andado à procura

mas de ter encontrado alguém que como eu investe nesta

dualidade de sentimentos

é uma amizade eterna da alma

porquê não genética?

falo de ti amiga para ti

hoje fui feliz

tu fizeste acontecer felicidade

quem a não ser uma pessoa como tu

capaz de tamanha surpresa de tamanha grandeza

Fim de tarde quieta e soalheira

entras em minha casa envolta em ternura

e disfarce de ansiedade

trazes um enorme cesto

uma mancha escarlate e aveludada preenche o teu abraço

cruzamo-nos em olhar lampejante

fixo os teus olhos negros

por instantes não reconheço o momento

entre nós um cesto de rosas muitas rosas

Se fosse um sonho...seria um de encantar...

em tuas mãos uma tiara cravejada de rubis

irradiando a nossa amizade em varanda

de um qualquer castelo perdido em noite sem estrelas

para realçar a pureza de cada pedra preciosa

Não sonhei

são rosas preciosidade maior

que ofuscam a nossa presença

era tempo de as olhar

de abraçá-las também

de sentir e absorver a macieza o cheiro a cor

para eternizar em mim as sensações únicas de um momento puro

de gratidão a ti

a mim por ter sido capaz de construir esta amizade

Mas que fortuna me entregas!

um cesto de rosas

cada rosa tem em si vivências deste caminho

cada pétala conta alegrias e sorrisos medos e tristezas

segredos e cumplicidades

se me permites guardarei cada rosa no meu coração

uma por cada ano vivido 

a cada uma vou segredar pedaços de memórias e sonhos

e cantar o nome dos que amo

mas...como o tempo de as olhar é curto demais para mim

resolvi fotografá-las para as guardar

já que a beleza de uma flor é efémera

mas nunca o momento

para quem oferece e recebe

Amiga partes com as mãos perfumadas deixando o meu coração envolto de cor e alegria

viver é isto partilhar momentos cativar

para ti também um cesto de rosas

 

Pinta-se em tons de fogo um poente em promessas de um amanhã suave e quente o meu olhar inunda de luz oceânica este retalho tricotado com carinho

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por dolce_vita às 22:01

Disputar

Terça-feira, 10.07.07

Hoje venho aqui,  repor uma falha enorme, um erro gráfico.

Inadmissível, eu sei,  mas...estaria eu,  embora inebriada com o espectáculo,  a pensar no estado em que está o meu País?

Possivelmente, nem muitos concertos nos fazem esquecer.

Então,  sem demora, digo: disputar e não déspota.

As minhas desculpas ,até breve.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por dolce_vita às 21:29

ACONTECEU CULTURA

Sábado, 07.07.07

 

 

 

 

Hoje, ainda inebriada de  cores, sons, cheiros a sal e maresia,  sob uma lua escondida em manto violeta salpicado de pingos prateados, sinto que a magia pode acontecer. Aconteceu ontem. Numa mistura infalível. A voz de quem canta com o coração, pondo em cada palavra o sentimento de um povo, o ritmo quente de miscelâneas culturas e para magia perfeita, os músicos, esses magos, conduzidos por um grande maestro.Estava perfeita a tela para dar início a um quadro, pintado a muitas cores, para ser visto, admirado e sobretudo sentido e muito vivido.Fiz parte da imensa moldura que viria a completar tão brilhante quadro.Será o  primeiro de muitos, é o desejo de uma cidade sedenta de cultura e cansada a não ser chamada a aplaudir de forma esfuziante como ontem fiz e vi acontecer.Pintado a várias mãos, prometem os "pintores", "artistas", continuar a sua obra.

«O Música com Sal», fez acontecer um evento que pessoalmente, considero de dimensão soberba, pela aposta em grandes nomes; Mariza uma das melhores fadistas portuguesas, Gilberto Gil o músico brasileiro que defende e propaga a cultura do seu país, o grande maestro

Jaques Morelenbaum que acompanhou a digressão da nossa Mariza do outro lado do Atlântico,regeu a fabulosa Orquestra Filarmonia das Beiras.

ACONTECEU CULTURA, ontem, na minha cidade. Cidade de cheiros e cores, luz e sabores únicos.

Como aveirense, não posso deixar de vanglorizar, agradecer e pedir mais, a todos os jovens, eu sei que são muito jovens, que promoveram e deram provas de que são capazes de fazer muito,  pela cidade que também é a deles.

A cidade estava lá, no estádio, não se despotava um torneio ou taça de futebol, mas a fusão de culturas, de gentes...não há como a música para quebrar as barreiras do descontentamento ou do preconceito.

O meu BEM HAJA a quem, ainda acredita

que um povo culto é a imagem do próprio

País e uma herança inestimavel.

 

 

 

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por dolce_vita às 19:26

AS CORES DE UM RETALHO

Terça-feira, 03.07.07

Contigo tricotei um retalho

que na minha manta fica

a manta de tantas cores

de todos os momentos

a manta desde sempre iniciada ...continuada...

ponto por ponto

sem fim previsto

 

tricotei este retalho com a cor do coração

fios de sol em dias esperados

verde de planícies sonhadas

azul de águas longuínquas ...

outros fios de cristal

outras cores fui misturando

sempre guardadas em mim...

 

num rendilhado aberto

dei de mim

o violeta o roxo e outros fios

o aveludado do damasco

o aroma do malmequer

a lembrança do que não tive

 

em cada ponto

tricotava sonhos de muitas cores

em noites demoradas

de insónias dolorosas

desejava partilhar

todas as cores em  mim guardadas

 

ponto a ponto

dava ao meu retalho

voltas e voltas

na incerteza de encontrar

a cor de um abraço

de um beijo...

de um gesto...de um sorriso

de cruzar o meu olhar no teu

 

o retalho entristecia

lentamente...sem as cores sonhadas

sem a cor do coração

já cansadas estas mãos

de tanto tecer...tanto...

mãos vazias de nada

sonhos desfeitos

cores sem brilho...

mesmo em noites de lua cheia

 

o meu olhar perde-se

na imensidão deste retalho

em fios e pontos entrelaçados

 

na penumbra azulada

de um novo amanhecer

procuro-me...

procuro-me

em esperança não perdida

salpicada de púrpura

em rio de prata.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por dolce_vita às 23:07





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Julho 2007

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031